Não é a primeira vez que o árbitro mineiro Alício Pena Júnior, talvez um dos piores árbitros %22FIFA%22 da história prejudica o Internacional em um jogo contra paulistas.

A não-expulsão de Dagoberto e Leandro, os pênaltis em Fernandão e Alex na derrota de ontem contra o São Paulo são apenas a nítida certeza da péssima qualidade deste juiz e a falta de critérios da CBF na escolha de árbitros.

Em 2005, em um confronto entre líderes no Parque Antártica contra o Palmeiras, este mesmo árbitro inventou uma falta de Wílson que resultou em um gol de Gamarra, empatando o jogo para o Palmeiras em 1×1.

Porém o erro mais grave foi no final desta mesma partida, quando o árbitro permitiu a entrada de Marcinho (que estava sendo atendido), do lado de Wílson (que estava de costas para a lateral). Marcinho se aproveitou deste equívoco, roubou a bola e tocou para Juninho fazer o gol decisivo na vitória de 3×2, sob fortes protestos da diretoria colorada.

Pelo visto, o tempo passou e Alício Pena continua sendo um dos juizes mais fracos da Série A. E segue sendo escalado para jogos importantes.

Ah, o fato do juiz ter sido o principal responsável pela derrota de ontem não isenta a diretoria pela temporada catastrófica colorada. Basta ver que potências continentais como Náutico, Sport, Figueirense, Goiás estão à frente do atual campeão mundial. 2007 é, definitivamente, um ano a ser esquecido por todos os Colorados.

Postado por Alexandre Perin