Assustador as informações sobre um grupo de hooligans neonazistas infiltrados dentro da torcida do Grêmio %22Geral do Grêmio%22, famosa por seu apoio incondicional ao clube, belos espetáculos dentro do estádio.

Quatro pessoas (uma delas, menor de idade), já foram identificadas pela Polícia Civil e dois confessaram terem sido os responsáveis por 11 facadas em um punk no dia do último clássico Gre-Nal, dia 16 de setembro.

A diretoria do Grêmio publicou bela nota oficial repudiando o fato e se mostrando incondicionalmente em favor da liberdade de expressão e não-violência. A Federação Israelita do Rio Grande do Sul também divulgou nota oficial lamentando a existência de grupos assim dentro do futebol.

Mas isto não é novidade, e estarei colocando posts nos próximos dias sobre esta relação nojenta entre o belo espetáculo do futebol, o esporte mais popular do planeta, e os horrores da discriminação racial, social e étnica.

SÉRIE ESPECIAL DO ALMANAQUE ESPORTIVO SOBRE O FASCISMO NO FUTEBOL:

– Iugoslávia: Futebol e fascistas: uma relação antiga na Iugoslávia

– Inglaterra: Os ingleses e os grupos fascistas no futebol

– Itália: Ultras: uma tradição italiana de violência