Muito se tem falado da possibilidade do Grêmio depender dos resultados do Internacional para, sendo beneficiado, conseguir a classificação para a Taça Libertadores 2008. Faltando três rodadas, o Colorado enfrentaria em casa dois rivais do Tricolor: Cruzeiro e Palmeiras.

O Inter já bateu o Cruzeiro por 1×0, e agora enfrenta no final de semana o Palmeiras no Beira-Rio. Uma nova vitória colorada é vital para as pretensões tricolores de ainda chegar à Taça Libertadores.

Desde que o Campeonato Brasileiro começou, em 1971, aconteceram apenas outras duas ocasiões que um time da Dupla GreNal dependeu do resultado do rival.

A primeira vez foi em 1996. Uma vitória do Grêmio sobre o Goiás em pleno Olímpico praticamente classificava o Internacional para a fase final daquele Brasileirão. Porém o Grêmio levou 3×1 e cada gol do Goiás foi comemorado nas arquibancadas. Até o placar eletrônico do Olímpico entrou na onda e escreveu %22Eles estão fora%22.

Sem o rival na disputa, o Grêmio passou pelo Palmeiras, acabou facilmente vencendo o próprio Goiás nas semifinais e conquistou o título na dramática vitória sobre a Portuguesa, na decisão.

Em 1997, a disputa era pela luta contra o rebaixamento. Desta vez o Grêmio dependia de uma vitória do Internacional, no Beira-Rio, sobre o Bragantino para facilitar sua fuga do rebaixamento.

No mesmo horário, o Juventude pegava o Bahia em Salvador, o Cruzeiro pegava o Santos na Vila e o Grêmio enfrentava o Fluminense no estádio do Olaria. Também ameaçados, Goiás e Corinthians se enfrentavam no Serra Dourada, enquanto o Guarani pegava o Vasco.

Em certo instante da rodada, a situação do Grêmio se complicou e o único resultado favorável era a vitória do Internacional. Não tomando conhecimento da %22ajuda%22 ao rival, o Colorado enfiou humilhantes 7×0 no Bragantino, curiosamente algoz do ano anterior. Porém no final, todos felizes, o Inter e o Bragantino que comemorou escapar do rebaixamento graças ao empate do Bahia e do Criciúma.

Postado por Alexandre Perin