%22Sobe%22 – Eliminados

Irlanda do Norte – Sem dúvida a maior zebra: ganhou da Espanha, da Dinamarca e da Suécia (e empatou fora de casa com estas duas últimas). Se tivesse ido melhor contra Islândia (perdeu as duas), e Letônia (perdeu fora), teria se classificado para a primeira competição de nível internacional em 22 anos (a última foi a Copa de 1986, quando perdeu de 3×0 para o Brasil na primeira fase). De consolação, teve o artilheiro das Eliminatórias, David Healy, que fez 13 gols e se tornou o maior artilheiro de todos os tempos.

Finlândia e Israel – Estes dois países, sem nenhuma tradição no futebol, vem obtendo resultados constantes e crescentes. Não será surpresa se algum deles disputar a próxima Copa do Mundo.

Noruega e Bulgária – Jovens times que podem surpreender nas Eliminatórias para o Mundial de 2010, mostrando evolução de fracassos anteriores.

Escócia – Derrotas apertadas para a campeã do mundo Itália e dois triunfos sobre a vice-campeã França deram a esperança de uma classificação para a Escócia, algo que não ocorre desde 1996. Porém uma inesperada derrota para a Geórgia tirou a classificação do jovem time do norte da Grã-Bretanha.

%22Desce%22 – Eliminados

Inglaterra – Terry, Lampard, Gerrard, Owen, Rooney de um lado. Dois goleiros fracos, um time mal arrumado, invenções táticas contra a Croácia duas vezes e um treinador sem experiência de outro. O resultado? Um monumental fiasco. Um dos maiores de todos os tempos.

Dinamarca, Bélgica e Sérvia – Times veteranos, de péssima qualidade e que ficaram muito longe da vaga. Se continuarem assim, tão cedo não voltam à elite.

Hungria – A outrora bi-vice campeã mundial segue longe dos tempos áureos de Puskas, Boszik, Kocsis, Hidegkuti e Czibor. Vice-lanterna atrás até da Moldávia.

Ucrânia – Quarterfinalista na última Copa, o desgastado time ucraniano ficou nove pontos atrás da França e Itália (a algoz na Copa da Alemanha). Os escoceses também ficaram bem à frente.

Postado por Alexandre Perin