Em 2004, novamente o Inter e o Grêmio estavam na Copa Sul-Americana. Mais valorizada que na temporada anterior, os clubes brasileiros passaram a disputar o torneio buscando retorno financeiro e prestígio no continente. O Inter superou o Figueirense na primeira fase após empates em 0x0 e 1×1. Nos pênaltis, deu Inter por 4×2. O jogo de ida marcou a despedida de Nilmar do Internacional, vendido ao Olympique Lyon. Já o Grêmio estreou diretamente na segunda fase, justamente contra o Inter. Este confronto se tornou o primeiro, e até agora único, duelo da dupla Gre-Nal em uma competição sul-americana.

No primeiro jogo, no dia do aniversário do Tricolor (15/09/2004), vitória colorada por 2×0 com gols de Fernandão e Chiquinho no Beira-Rio. Na partida de volta, o Inter saiu na frente com um gol de Chiquinho na etapa inicial. Mas o Grêmio reagiu no segundo tempo e empatou com Cláudio Pitbull de pênalti. Após o gol, Clemer e Claudiomiro se desentenderam e foram expulsos. Com 10 para cada lado, o Grêmio virou com um gol do centroavante Roberto Santos. No final, uma pressão violenta do Tricolor que parou nas mãos do goleiro reserva André, garantindo a classificação do Inter. Foi a única vitória do Grêmio em sete clássicos naquela temporada.

Agora o rival colorado era o Cruzeiro. No primeiro jogo, vitória de 3×1 no Beira-Rio com gols de Fernandão, Wílson e Chiquinho, descontando Leandro. No Mineirão, Rafael Sobis garantiu a primeira vitória do Inter sobre o Cruzeiro em Belo Horizonte em 17 anos ao marcar o gol da vitória de 1×0. O Inter seguiu adiante e o adversário foi o Júnior Barranquilla, da Colômbia. Este confronto marcou o reingresso colorado aos jogos oficiais contra estrangeiros depois de 11 anos.

Na partida de ida, no Beira-Rio, um golaço de cabeça de Fernandão após brilhante jogada pela esquerda de Chiquinho a um minuto de partida. Porém, neste mesmo jogo, o novo ídolo colorado sofreu séria lesão muscular que lhe afastou do resto da temporada. Abatido, o Inter saiu com uma magra vitória de 1×0. Na Colômbia, logo no início do jogo Edinho fez 1×0 para o Inter. No finalzinho, Arziuga empatou mas o Inter levou a vaga.

Nas semifinais, o Inter pegou o campeão do mundo Boca Juniors na temível Bombonera, apoiado por 4 mil colorados (o maior público de um time brasileiro no exterior até hoje). Inexperiente e visivelmente intimidado, o Colorado ainda saiu na frente com Rafael Sobis mas levou quatro gols do Boca em 15 minutos de pânico e show de Carlos Tévez. Diego no final descontou e o confronto terminou 4×2. No jogo de volta, com Beira-Rio completamente lotado, o insuficiente time colorado apenas empatou em 0x0 e foi eliminado. O Boca Juniors acabou campeão da competição.

Esta foi a melhor participação de um time brasileiro até o momento na competição. Rebaixado em 2004 no Brasileirão, o Grêmio não mais disputou a Sul-Americana e só retornou às competições continentais este ano, quando foi vice-campeão da Libertadores. Já o Inter não disputou a Copa Sul-Americana em 2006 e 2007 por ter se classificado para a Libertadores.

Postado por Alexandre Perin