O Relatório Taylor, escrito pelo Lord de Gosforth Peter Taylor sobre a tragédia de Hillsborough, quando morreram 95 torcedores do Liverpool esmagados em um jogo da Copa da Inglaterra contra o Nottingham Forest em Sheffield, deveria ser livro de cabeceira de todo regulamentador do esporte e dirigente de futebol brasileiro.

Relatório apresentado por Lord Taylor: mudou o futebol mundial

Relatório apresentado por Lord Taylor: mudou o futebol mundial

Ele promoveu profunda reformulação em todo o futebol inglês, envolvido em três décadas de violência institucional e de tragédias isoladas. Que, em menos de dez anos, migrou para um nível elevado de organização, rentabilidade financeira e espetáculos de puro entretenimento.

Tragédia de Hillsborough em Sheffield, 1989: 96 mortos

Tragédia de Hillsborough em Sheffield, 1989: 96 mortos

A melhor simplificação do que foi o Relatório Taylor eu vi no Blog Paz no Esporte, do Marco Aurélio Klein:

“15/12/2007
Muito falado no Brasil e pouco conhecido na prática, o Relatório Taylor, de autoria do inglês, Peter Taylor, juiz de primeiríssima importância nas cortes inglesas, falecido em 1996 (…) O trabalho realizado pelo juiz Taylor – responsável pelo inquérito sobre uma das mais emblemáticas tragédias da história do futebol (The Hillsborough Stadium Disaster Inquiry Final Report, conhecido mundialmente como Taylor Report), em 1989, a mim sempre pareceu o marco divisor quando se fala de prevenção da violência, segurança e conforto dos torcedores.

O juiz Taylor entendeu claramente o quanto era fundamental melhorar o todo do espetáculo futebol. Isto significando, a organização, a qualidade da infraestrutura, os processos de segurança, bem como a importância de relacionar as práticas mais importantes com uma legislação adequada, que responsabilizasse clubes, entidades da administração esportiva, autoridades locais, responsáveis pela segurança e ordem pública, bem como torcedores.

Seu trabalho, de estonteante simplicidade – difícil de imitar, mais do que a fonte que merece este tributo, é uma lição muito especial, a mais difícil porque prática, de como examinar um tema de maneira profunda, nunca permitindo que isto o afastasse do seu mais nobre objetivo: a proteção do verdadeiro torcedor”

 

A modificação de pocilgas literalmente centenárias como o Valley Parade, que causaram tragédias como um incêndio no jogo Bradford City x Lincoln City em 1985.

 

Imagens do incêndio no Valley Parade 1986 - Foto: Telegraph

Imagens do incêndio no Valley Parade 1986 – Foto: Telegraph

Bradford City Football Club Fire Disaster 11 May 1985 Fifty six people die

Bradford City Football Club
Fire Disaster 11 May 1985
Fifty six people die

Na ocasião, 56 torcedores morreram queimados em um incêndio que se propagou na madeira e no lixo acumulado dentro do estádio, que teve 1/4 de sua área incendiada em menos de sete minutos, conforme podemos ver no vídeo abaixo:

Hoje estádios monumentais, que geram rios de dinheiro e absolutamente magníficos como o Emirates Stadium, e novos projetos em andamento (estádios novos para os dois times de Liverpool). O Manchester United tem mantido uma média ‘modesta’ de… 75 mil torcedores por jogo.

Vídeo do novo estádio do Arsenal, o Emirates Stadium para 60 mil torcedores em Londres:

Leiam a íntegra do Relatório Taylor, apresentado em 1990 e que mudou a cultura mundial para o futebol como entretenimento e negócio.

Vale refletir.

LEIA TAMBÉM

Desastre de Valley Parade: 32 anos do incêndio que matou 56 torcedores na Inglaterra