Fisichella recebendo o merecido `DMPFTA`/Daniel Maurer/AP

Nada mais comum que dar prêmios para desempenho (positivo e negativo) após cada evento esportivo. E melhor ainda quando isto é feito de maneira informal.

Há muitos anos conheço um grupo de amigos ligados pela paixão ao automobilismo. Temos pessoas de todo o país e até do exterior, a maioria dotada de um conhecimento e inteligência ímpares.

Além do conhecimento sobre o esporte, muitos ainda são capazes de momentos engraçadíssimos.

Depois de alguma trapalhada qualquer em algum GP de Fórmula-1, se eu não me engano o amigo Carlos Moyna criou o DMPFTA. Ele significa: Didi Mocó Prize For Technical Achievements, o que obviamente é zoação.

Também dávamos prêmios como o Troféu Rouge & Blanc, reedição de uma antiga homenagem ao piloto mais combativo de cada GP, em homenagem ao suíço Jo Siffert, morto em um acidente e famoso por sua grande raça.  Nem sempre é para o melhor piloto do GP, pois muitas vezes o mais combativo é aquele que faz uma bobagem, vai lá para o final da fila e passa todo mundo. Mansell era hors-concours neste prêmio.

Troféu Chris Amon vai para o piloto azarado do GP. E o Troféu Fiofó de Ouro, também conhecido como %22Michael Schumacher%22, vai para o sortudo da corrida. O troféu PENFCMBF, ou Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada, é auto-explicativo. Por fim, o Troféu Jim Clark vai para o melhor piloto da prova%22.

Vou me permitir utilizar todos eles em minhas análises, sempre após cada GP.

O Troféu %22Chris Amon%22: Kazuke Nakajima da Williams, pelo motivo citado abaixo. Ficou fora da corrida de graça, por barbeiragem do outro

Troféu  DMPFTA : Giancarlo Fisichella, pela batida ridícula na largada em cima do Kazuke Nakajima. Frear que é bom, nem pensar, né ô italiano. Tá fazendo hora na F-1 e faz tempo…

Troféu  Rouge & Blanc : Heikki Kovalainen, da McLaren. Fez besteira na primeira volta, perdeu o bico em um toque com o Kimi Raikkonen, foi lá para o fim da fila e depois passou várias vezes os pilotos do bloco intermediário. Não chegou aos pontos, mas foi o piloto que mais trabalhou no final de semana.

Troféu  Fiofó de OuroKimi Raikkonen. O eterno  caveira de burro azarado já é coisa do passado. Na corrida de ontem levou um toque do Kovalainen e não danificou o carro. Chegou em terceiro e segue líder.

Troféu  PENFCMBF : esta semana fica vago. (EDITADO: Os leitores Fábio Mota e Tiago lembraram os dirigentes Bernie Ecclestone (FOCA) e Luca Baldiserri (Ferrari). O Tio Bernie disse  que achou melhor a Super Aguri não participar da categoria pois sobra mais  espaço , no paddock para os motor-homes das equipes . Já o Baldiserri, diretor-geral da Ferrari, conseguiu a proeza de criticar Massa:  o Massa não segurou o Hamilton por muito tempo . Ele queria o quê? Que o Massa batesse e o Kimi ganhasse? Duh…)

Troféu  Jim Clark : Lewis Hamilton, corrida no limite e perfeita. Com menção honrosa para Felipe Massa.