QUE AZAR, caraca… Muito azar de Felipe Massa, que foi supremo na largada (uma das maiores de todos os tempos e a melhor da vida do brasileiro), liderou com folga a corrida inteira para perder faltando três voltas!

Uma corrida perfeita no momento do pneu furado da McLaren de Lewis Hamilton se tornou um pesadelo, com o inglês abrindo oito pontos (ao invés de estar três atrás), Kimi Raikkonen superando o companheiro de Ferrari por três pontos (ao invés de ficar ONZE atrás). E mais uma vez a Ferrari deixando seus pilotos na mão!

Como sortudo do dia, Heikki Kovalainen conquistou sua primeira vitória na categoria. Ele se junta à Keke Rosberg (GP da Suíça em 1982), Mika Hakkinen (GP da Europa 1997) e Kimi Raikkonen (GP da Malásia 2003) como os vencedores de GP entre os oito finlandeses da categoria (Mika Salo, J.J. Letho e Leo Kinnunen não venceram, Mikko Kozarowitzky sequer conseguiu largar).

Troféu “Jim Clark”Timo Glock e Felipe Massa. O alemão fez sua melhor corrida na F-1 e mereceu o pódio, um GP após um acidente forte em sua terra natal. Já o brasileiro fez uma corrida fantástica depois de uma largada antológica e não merecia o azar que teve.

Troféu “Chris Amon”Felipe Massa. Ponto final. Menção honrosa para o Cleber Machado, que sempre narra os desastres brasileiros em última volta (vide Áustria 2002, ‘”hoje não, hoje não… hoje sim…”)

Troféu “Fiofó de Ouro”Heikki Kovalainen. Sem mais.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Felipe Massa, pela ousadia na largada. Mais que isto, impossível neste kartódromo.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” – Para a droga da Ferrari, que deixou o piloto na mão mais uma vez na temporada. Ele será dividido com os pitstops desastrados de Sebastien Bourdais (duas vezes!), Kazuke Nakajima e Rubens Barrichello, no qual os bocais de reabastecimento pegaram fogo.

E aviso a todos: este Mônaco sem iate e mulher de top-less vai continuar até 2016!!!!