Vamos falar da maior disputa da história da natação mundial em TODOS OS TEMPOS! O auge técnico e esportivo desta Olimpíada!

O 4×100 estilo livre masculino foi mais uma das medalhas de ouro dos Estados Unidos na natação dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.

Além disto, esta competição foi integrante da lista de oito ouros que Michael Phelps conquistou nesta Olimpíada, recorde em qualquer esporte olímpico. Para completar, foi mais uma prova que um recorde mundial foi batido no monumental, espetacular e hoje inigualável “Cubo d`água” na capital chinesa.

Ops, corrigindo a informação anterior: recorde mundial PULVERIZADO!

Afinal, nenhuma outra expressão fica adequada depois de saber que os EUA conquistaram o ouro e baixaram em quase quatro segundos o recorde anterior, que era do DIA ANTERIOR. E nada menos que os seis primeiros colocados bateram o recorde mundial na final. Os dois últimos (África do Sul e Grã-Bretanha) ficaram muito próximos de igualmente superar aquela marca. Já nas preliminares, o recorde mundial anterior tinha sido batido pela maioria dos finalistas.

A final já começou com show: o australiano Eamon Sullivan, que abriu o revezamento, bateu o recorde mundial dos 100m com 47s24 na primeira passagem. 

Isto seria fichinha perto do que aconteceu durante a prova: Frederic Bousquet, o terceiro francês, fez seus 100m em impressionantes 46s63. Na última troca de nadadores, a França vencia os EUA por 0s59 e a bola estava com o norte-americano Jason Lezak.

O sonho do ouro estava distante. Parecia impossível que o ouro escapasse dos favoritos franceses. E assim, Phelps só conseguiria igualar-se à Mark Spitz e suas sete medalhas de ouro em uma única edição de Jogos Olímpicos (no caso de Spitz, os Jogos de Munique em 1972).

De 32 anos, ele disputaria os 100m finais e a medalha de ouro com o francês Allain Bernard, justamente o mais rápido na prova e que fechava o revezamento francês (futuro vencedor da medalha de ouro na prova individual dos 100m livre).

Mas Lezak conseguiu o inimaginável. O veterano nadador fez seus 100m em assombrosos 46s06, mais de meio segundo melhor que a melhor marca até então (que era de Bousquet, menos de dois minutos antes).

Mesmo que somente o primeiro tempo em um revezamento 4×100 possa ser homologado, a façanha de Lezak marcará época na natação mundial. Daquelas de serem repetidas em toda escolinha de natação ao redor do planeta.

Compreensível o desespero de Bernard após o final da prova. Justo ele, que havia desdenhado os norte-americanos dois dias antes. “Os americanos? Viemos aqui para acabar com eles. Por isso estamos aqui “, disse arrogantemente Bernard. Quando viu seu tempo no 4x100m ser 0s67 pior que o de Jason Lezak, Bernard deve ter se perguntado: “porquê não fiquei com minha boca fechada…”

O berro gutural, selvagem e absolutamente verdadeiro do mítico Phelps ao ver no placar a certeza da vitória espetacular dos Estados Unidos deixou claro que algo havia si

Postado por Perin, que achou sensacional esta prova