Jogador brasileiro muitas vezes é acusado de ter uma péssima atitude profissional. É negociado por valores expressivos e, ao chegar em um novo clube (normalmente no exterior), começa a arranjar desculpas ridículas para voltar ao Brasil ou mudar de time.

Isto ocorre porque os dirigentes brasileiros, em sua maioria, são paternalistas e encobrem erros profissionais dos atletas daqui. Quando chegam na Europa, levam nas costas.

Lembro do Luís Fabiano, com dificuldades de comunicação no Porto (?!), ou de Viola, com “saudades do feijão” na belíssima Valência (?!?!?!). São por caprichos assim que jogadores menos talentosos (especialmente os argentinos), valem mais em suas primeiras negociações com a Europa: a chance de dar errado dentro de campo é igual, mas a chance de dar errado por falta de profissionalismo é bem menor…

Agora mais um exemplo: o jovem Marquinhos, formado no Vitória, está claramente forçando sua desconvocação para se apresentar ao Palmeiras, ficando de fora do Campeonato Sul-Americano Sub-20.

É o típico atleta que nunca mais deve ser convocado por treinador de Seleção Brasileira em qualquer categoria, para aprender a ter mais profissionalismo e correção dentro e fora dos gramados.

 

Postado por Perin, que se irrita com estas babaquices…