Lucas no Liverpool: o time certo na hora errada

Quando Lucas deixou o Grêmio e foi para o poderoso Liverpool em 2007, fui um dos poucos a afirmar que ele tinha cometido um erro. Afinal, é meio contrasenso tu achares ruim um jovem atleta, de talento inegável, escolher um dos melhores times do planeta, com um ótimo treinador em uma boa cidade. Meus colegas do ClicRBS e meus amigos (em especial o Guilherme Boeira )devem estar cansados de ouvir eu falar isto, mas é verdade.

LUCAS FEZ BOBAGEM! E ele mesmo começa a admitir isto, como vemos em matéria no The Sun e reproduzida no ClicRBS. Aos poucos percebe que jogando meia dúzia de vezes a cada dois meses não vai ter lugar na Seleção Brasileira.

É evidente que Dunga tem cegueira aguda ao não convocar Hernanes e preferir o tosquíssimo Josué (10 faltas em 15 lances) ou o semi-aposentado Gilberto Silva, que foi curtir o final de carreira perto das belíssimas praias gregas.

Suas escolhas para a posição de volantes tem sido redondamente equivocadas. Mas isto não isenta Lucas, que fez mal ao escolher um time no qual teria poucas chances de jogar. Confiou demais no taco.

Foi um equívoco de avaliação sua escolher o Liverpool no qual joga, EXATAMENTE na sua posição de segundo volante (ou ainda com as variantes midfielder centre, `box-to-box` man), simplesmente o melhor jogador do mundo nesta função, o craque inglês Steven Gerrard.

Para completar, além de melhor jogador do mundo na função, Gerrard é o craque do time, o capitão, o maior ídolo dos `Reds` nos últimos 25 anos,  símbolo do renascimento do clube de Anfield Road. Algo como um Fernandão nascido no Beira-Rio. Ou seja, não sai.

Para completar, outro jogador diferenciado joga na mesma função, o ótimo espanhol Xabi Alonso. Finalizando, temos o defensivo argentino Javier Mascherano, mais tosco que Lucas, é verdade, mas que faz um papel vital no losango de meio-campo normalmente utilizado pelo treinador Rafa Benítez. Para piorar, nenhum deles está no final de carreira, como temos Paul Scholes no Manchester United.

Lucas escolheu mal. Seu erro é o mesmo de um promissor goleiro resolver aceitar uma negociação e ir para o Real Madrid (Iker Casillas) ou Internazionale (Júlio César): vai jogar pouco. Aliás, o ex-flamenguista é um exemplo: foi para Milão ciente de que o então titular incontestável, o ótimo italiano Francesco Toldo, começava a dar sinais da idade e que prepararia seu sucessor. Dito e feito.

Certo fez o Thiago Silva, que foi para o Milan que em seu setor, a defesa, tem jogadores acima de 33 anos. E Alexandre Pato, que concorre com velhos no ataque ao seu lado no mesmo time.

Se eu fosse amigo do Lucas eu diria para ir:
Internazionale (ao lado de Cambiasso, pois os veteranos Zanetti e  Vieira estão encerrando suas gloriosas carreiras), Bay

Postado por Perin, saudando o grande Lucas!