Paulo Odone e Túlio Macedo: idealizadores do condomínio de credores

A Zero Hora de sábado divulga que o Grêmio está com muito atraso no pagamento do condomínio de credores: conjunto de ex-jogadores e treinadores com os quais o Tricolor acumulou milhões de reais em dívidas trabalhistas, de execução imediata. A maioria absoluta da gestão de José Alberto Guerreiro, mas muitas dívidas ainda são da gestão de Cacalo.

O valor em atraso chegaria a mais de cinco milhões de reais, e a regularização dos pagamentos só ocorreria em alguns meses. Sem a existência deste condomínio, acerto magistralmente organizado pelo venerável ex-vice presidente de finanças Túlio Macedo, o clube se invabilizaria financeiramente.

É exatamente este artifício criado por Túlio Macedo que resume a diferença do Grêmio para o Corinthians e todos os clubes cariocas, afundados em milionárias execuções judiciais trabalhistas. Com grandes dívidas com o Governo Federal, o perfil da dívida do Internacional é diferente e praticamente inexistem questões trabalhistas.

O déficit gremista no primeiro trimestre foi de um milhão de reais. E isto que o clube já antecipou toda a cota de televisionamento de 2009 com a Rede Globo. A folha está próxima a 3 milhões de reais mensais, algo que deve aumentar com os possíveis reforços de Renato Abreu e Renato Carioca.

A pergunta que fica é: será que os gastos com salários não estão muito altos. Acostumados, especialmente na “Era Paulo Odone” a se posicionar como “irmãos pobres” em relação á alta folha salarial do rival, o Grêmio tem gastos sim bastante expressivos. Tcheco (120 mil), Souza (150 mil), Herrera (120 mil), Máxi López (ver abaixo), Alex Mineiro (150 mil) ganham muito bem.

Máxi López, a despeito de seu quase inexistente cartaz no exterior, recebe assombrosos 208 mil reais mensais. O demitido técnico Celso Roth, de poucos títulos, ganhava 220 mil reais, bem mais que o colorado Tite. O novo, muito provavelmente Paulo Autuori, multicampeão e vindo do milionário futebol árabe para montar toda a filosofia de futebol do clube ganhará menos? Duvido.

  1. Estaria o Grêmio próximo de seu limite financeiro?

  2. A nova diretoria não estaria gastando em demasia, contanto com um sucesso na Libertadores?

  3. Em caso de fracasso, o clube ficaria em sérias dificuldades até o final do ano.

  4. Perguntas para a diretoria tricolor…

Postado por Perin, analisando os números gremistas