Djalma Beltrami: escudinho da FIFA? Fala sério!/Reprodução

A inacreditável lambança de ontem no jogo Santos 2×3 Atlético-MG poderia ter sido um incidente isolado na carreira do árbitro Djalma Beltrami. Mas não o foi. O ex-árbitro da FIFA (quem foi o louco que deu o escudinho pra ele), Tenente-Coronel da PM fluminense, já tem um histórico rol de confusões no futebol brasileiro. É o legítimo “pára-raios”.

Ontem ele, instantes depois de não expulsar Werley que deu uma entrada assassina no joelho de Maikon Leite (ganhou só amarelo, ridículo). O garoto felizmente não sofreu nada de mais grave, no máximo uma lesão nos meniscos…

A mais famosa confusão do pavoroso árbitro fluminense foi, é claro, a “Batalha dos Aflitos” na Série B de 2005. Foi quando inventou de forma ridícula um pênalti para o Náutico em uma falta fora da área e que foi claramente “bola na mão” e não mão na bola”. Isto minutos após não dar um pênalti escandaloso para o time pernambucano (de Gallatto sobre Miltinho).

Como resultado,  expulsou dois gremistas na confusão (Patrício e Nunes, e ainda levou um chute de Marcelo Costa, que não foi expulso), depois expulsou Domingos que fazia cera na cobrança do pênalti. Gallatto pegou a cobrança de Ademar, o alvirrubro Batata foi expulso e o jovem Anderson tratou de colocar o jogo na história do futebol brasileiro…

O curioso é que a “banca paga e recebe”. O mesmo Vágner Mancini que estava revoltado ontem foi o treinador beneficiado em 2005 nas quartas-de-finais da Copa do Brasil quando, na disputa de pênaltis entre Paulista e Internacional, o árbitro Djalma Beltrami errou. Perdigão bateu uma penalidade, a bola tocou no travessão e entrou, o bandeirinha assinalou gol mas o árbitro, que afobadamente já tinha encerrado o confronto, não teve a humildade de voltar atrás. Paulista, que seria campeão do torneio, estava nas semifinais e o Inter eliminado. Mas naquele dia, Mancini não quis comentar…

Confiram as principais trapalhadas do pior árbitro da primeira divisão brasileira:

2005 – Copa do Brasil – Paulista (4)1×0 (3) Internacional – Para o bandeirinha João Luiz Magalhães o gol de Perdigão havia sido legal, mas, depois da invasão da torcida, Djalma Beltrami não voltou atrás.

2005 – Campeonato Brasileiro Série B – Náutico 0x1 Grêmio – Não deu pênalti claro para o Náutico aos 32 minutos, aí inventou uma penalidade ridícula para o time da casa em uma falta inexistente e fora da área. Na confusão resultante, expulsou três gremistas em sequência na famosa “Batalha dos Aflitos“. Ademar, Gallatto e Anderson completariam a história…

2007 – Campeonato Carioca – Flamengo 2×2 Botafogo – Marca impedimento equivocado de Dodô, anulando o gol do título botafoguense quase nos acréscimos. De quebra, expulsa o principal batedor de penalidades alvinegro. Flamengo campeão estadual nos pênaltis.

2007 – Campeonato Brasileiro – Goiás 2×1 Internacional – Beltrami manda o Goiás cobrar três vezes uma penalidade, finalmente convertida por Élson após duas defesas do goleiro colorado Clemer. Neste lance ele acertou, mas o Corinthians reclamou muito pois o resultado rebaixou o time paulista.

Postado por Perin, dizendo: a CONAF é uma piada de mau gosto!