Um erro inacreditável de um time inteiro ocorreu na última rodada da primeira fase da Série D neste domingo. No grupo A4, o tradicionalíssimo Santa Cruz foi eliminado ainda na primeira fase da Série D ao empatar em 2×2 com o C.S.A. no estádio do Arruda, para desespero de 30 mil torcedores em Recife.


Com estes resultados, o outrora poderoso Tricolor pernambucano terminou em quarto lugar (5 pontos) atrás do líder e já classificado Central de Caruaru-PE (12 pontos), Sergipe-SE (7 pontos) e do próprio C.S.A.-AL (7 pontos).

Para se classificar, o Santa Cruz precisava vencer e torcer por uma derrota do Sergipe, em casa, para o já classificado Central. Os jogos começaram e o Santa Cruz fez 1×0, mesmo placar do Central sobre o Sergipe. Nervoso em campo, cedeu o empate antes do intervalo, enquanto em Aracajú o Sergipe empatou em 1×1. Ainda no primeiro tempo, o Santa Cruz voltou a ficar na frente: 2×1.

Com estes resultados, o Sergipe se classificava no intervalo. Com pouca luz, o jogo em Recife parou e atrasou em 13 minutos no início do segundo tempo. Então, na metade do segundo tempo, o C.S.A. empatou em 2×2, resultado que eliminava os dois times. No Batistão em Aracajú, o Central fez mais um e o resultado ainda assim classificava o Sergipe.

Então, o bizarro ocorreu: ao invés de se atirarem para o ataque (precisavam vencer para levar a vaga), o time do C.S.A. equivocadamente achava que se classificava com o empate.

Começou a fazer uma cera absurda no Arrudão, para espanto de todos. O C.S.A. ficou `amorcegando o jogo` enquanto o Santa Cruz se desesperava tentando marcar o gol da vitória.

Após o término da partida, os jogadores do C.S.A. (que achavam que um empate classificava), saíram correndo felizes e comemoraram efusivamente. Até serem informados de que o resultado tinha tirado o time da competição. “Se soubéssemos que o empate nos eliminava, nós tinhamos nos atirado para o ataque“, disse um jogador logo após o jogo.

A culpa disto foi da comissão técnica e da diretoria do time alagoano, que apontou o saldo de gols como primeiro critério de desempate, quando o correto é número de vitórias (o Sergipe tinha uma a mais que o C.S.A.).

Como disse o amigo Rafael: “Santa Cruz tem uma cabeça de cavalo enterrada no Arruda. Não é possível: tem que jogar contra um time retrancado precisando fazer gol, e o adversário só tá na retranca por um erro grosseiro de leitura do regulamento!”

Minha opinião: isto é explicado por Charles Darwin, autor da “Teoria das Espécies”.

Isto se chama “seleção natural”…