Existe uma ‘lenda urbana‘ a respeito do Brasileirão de 1992, sobre uma virada de mesa durante a competição. Lembrei disto quando o amigo Marcelo Schleder (torcedor do Manchester City) me indagou sobre isto e resolvi escrever.

Os colorados alegam que o regulamento foi alterado durante a competição, já que o Grêmio terminou na nona colocação e mesmo assim subiu.Ao invés dos habituais dois times, subiram 12 para contemplar o Tricolor.

Minha memória era minha a única fonte. Eu era muito jovem na época, mas já acompanhava estes assuntos e tenho 99% de certeza que o regulamento foi mantido ao longo da competição.

Também é verdade que houve uma tentativa de virada de mesa para não rebaixar ninguém (no ano anterior, Grêmio e Vitória caíram), mas não passou no Conselho do Clube dos 13.

Minha intenção neste post era procurar PROVAS MATERIAIS, mas o ótimo trabalho do André Kruse no Grêmio 1983 encerrou a discussão. Vejam aqui: http://gremio1983.blogspot.com/2007/01/placar-ataca-novamente.html

cyhawhdwqaa7-ay

VEREDICTO: NÃO HOUVE VIRADA DE MESA! O regulamento foi o mesmo no início e fim do campeonato. Inclusive, a página da wikipedia sobre o Brasileirão de 1993 está totalmente errada, assim como a matéria da Placar citada no post do André.Pode se questionar o fato de terem mudado o número de times que subiam antes e foram promovidos neste ano (passou de 2 para 12), mas aí é OUTRA história…

A verdadeira “virada de mesa” foi no ano seguinte, 1993.  O nono colocado da Série B, o Grêmio ficou no grupo de elite, A e B, enquanto a 16º da Série A do ano anterior, a Portuguesa, caiu para os grupos C e D. Os dois rebaixados, Náutico e Paysandu, não foram rebaixados e também ficaram nos grupos C e D. Critério ZERO.

O regulamento: dividiram 32 times (os 20 da Série A 1992 + 12 da Série B 1992) em 4 grupos, 2 de elite que classificavam 3 times cada para a fase final, e outros 2 com 1 vaga por grupo.  O pior ocorreu com os times dos grupos C e D: 50% deles (4 equipes por grupo) seriam rebaixados para a Série B 1994.

Como o Grêmio estava na elite, o absurdo ficou assim: o 9º colocado da Série B 1992 não poderia ser rebaixado em 1994, enquanto o 1º colocado da mesma Série B 1993 poderia (mas não foi).

Já escrevi sobre isto há alguns anos, vejam:

1992
Foi tentado uma virada de mesa para não rebaixar Grêmio e Vitória, mas evidentemente Internacional e Bahia rechaçaram a idéia que beneficiaria os rivais, após no Clube dos 13. Para não correr riscos com o Grêmio, rebaixado para a Série B de 1991, é definido o ascenso de 12 times, ao invés de dois como eram nos anos anteriores. O Tricolor termina em 9º lugar.

1993
Com 32 times, um grupo de elite é formado nos grupos A e B. Os menores ficam  nos grupos C e D. A divisão é por critérios políticos, já que times que foram bem na Série B de 92 (Vitória e Paraná), terminam nos grupos C e D assim como a Portuguesa, que foi bem na Série A de 1992. Já o Grêmio, 9º colocado da Série B em 1992, vai direto para o grupo de elite! Ah, e não tem rebaixamento nos grupos A e B. Uma vergonha.