Repetindo 2010, o Grêmio é o virtual bicampeão estadual após o primeiro jogo das finais do Gauchão. Com o brilho de Júnior Viçosa, que marcou duas vezes em duas falhas grotescas de Renan, o Tricolor venceu por 3×2 o Internacional em pleno Beira-Rio e pode perder no jogo de volta por 1×0 ou 2×1 para ser campeão. O Colorado já começa a partida precisando fazer dois gols, e tentar levantar a taça no Olímpico, algo que não ocorre desde 1982.

Mais do que isto, o chamado “Gre-Nal Farrapo”, com os dois times vindo de traumáticas eliminações na Copa Libertadores, deixou claro que o time do Grêmio hoje tem muito mais atitude. Está menos desorganizado tecnica e taticamente, mesmo com uma infindável série de desfalques que ainda aumentou hoje. Renato está muito perto do seu primeiro título com o Grêmio. No jogo de hoje, mudou completamente a escalação do clássico de domingo passado e se deu bem: jogou no 4-2-2-2 com Escudero no meio e Leandro no ataque, enquanto Falcão mais uma vez adotou o 4-2-3-1 trocando o meia Oscar pelo atacante Rafael Sobis, que jogou recuado.

O treinador gremista venceu o duelo tático e conseguiu impor mais vibração em sua equipe. O Grêmio foi rápido na frente, se impôs ofensivamente e teve Rochemback, Viçosa e Leandro como destaques individuais. Na finalíssima domingo, Renato não terá Escudero (expulso), Fernando (suspenso) e Rodolfo (lesionado), voltando Adílson, Lúcio e provavelmente William Magrão. No Tricolor, a satisfação de ter tido mais oportunidades de gol, dominar a maioria do jogo (algo que não ocorreu na final do 2º turno) e obter uma excelente vantagem. Já o Inter não terá o suspenso Tinga, substituído naturalmente pelo retorno do suspenso Guiñazu.

Já Falcão, há um mês no cargo, recebe críticas por praticamente manter a espinha dorsal do time de Celso Roth, com os mesmos defeitos defensivos e ofensivos. Impactante a apatia absoluta do Inter no segundo tempo, outro gol na saída de bola do intervalo. E os velhos problemas de sempre: defesa muito mal, jogadores em fase técnica sofrível e questionamentos no gol, aonde Renan teve novas falhas em jogo decisivo e pode estar encerrando seu ciclo no Internacional.

O jogo começou com o Grêmio melhor e assustando Renan em duas conclusões, mas na primeira estocada colorada, Rafael Sobis ajeitou para Andrezinho chutar seco e marcar 1×0. Um minuto depois, em erro de Bolívar na saída de bola, Douglas deixou Viçosa sozinho e este perdeu para Renan, um gol incrível desperdiçado pelo Grêmio. Dez minutos depois, em lance muito parecido, Andrezinho desperdiçou o 2×0 em uma grande defesa de Marcelo Grohe. De novo, Viçosa errou chance clara em jogadaça de Mário Fernandes aos 30 minutos.

Quando parecia diminuir a pressão, o Grêmio empatou: Rochemback lançou e Viçosa, aproveitando saída errada de Renan, fez 1×1. Logo depois, Kléber recebeu livre e chutou para fora, perdendo a chance do 2×1 antes do segundo tempo.

Vestiário é o momento do time entrar ligado, marcando em cima no segundo tempo. Desde que não seja o Internacional… Quarta, o Peñarol empatou com 15 segundos de jogo, e hoje o Grêmio virou aos 39 segundos: Leandro entrou a dribles, tabelou com Viçosa e chutou cruzado para deixar o Tricolor em ótima vantagem. Aí ocorreu uma pane geral em todo o Internacional: Bolívar cometeu diversos erros, Nei foi driblado várias vezes e o Grêmio brincou de perder gols, com Escudero, Leandro e Viçosa.

Viçosa silencia Beira-Rio novamente - Foto: Ricardo Duarte (grupoRBS)

De tão mal, Falcão tirou o apático D’Alessandro e o quase nulo Sobis, colocando Cavenaghi e Oscar. Fora dois chutes isolados deste último, só deu Tricolor. Mas o Colorado tem um atacante em fase iluminada. Em sua primeira conclusão real no jogo, Kléber lançou no segundo poste e Leandro Damião marcou, contando com um leve desvio de Gílson, 2×2 aos 38 minutos. Porém, em um lance de desatenção colorada, Renan saiu mal e Viçosa, em gol idêntico ao do primeiro tempo, tocou de cabeça por cobertura para fazer o 3×2 e, com as mãos, fazer o gesto de silenciar a torcida colorada.

Resultado que deixa o Grêmio com uma mão e meia na taça. O quarto título gaúcho em seis anos.
Em frangalhos, o Inter é cobrado tecnica, tatica e animicamente. Improvável reação no Olímpico, aonde o Inter não ganha o Estadual há 29 anos.
Nas últimas três decisões entre Grêmio e Internacional, o Tricolor foi campeão em todas: 1999, 2006 e 2010.

E o 37º título está bem pertinho.

Especial Gre-Nal no Almanaque Esportivo: Os clássicos de 1996 a 2010:

2007:

2008:

2009:


2010
2011