O suado empate em 1×1 contra o Blackburn Rovers deu o título do Campeonato Inglês para o Manchester United. Mais do que isto, o time se sagrou vencedor pela 19° vez da competição, superando o arquirrival Liverpool na soberania do futebol da terra da Rainha. A conquista veio com uma rodada de antecipação, sendo inalcançável pelo virtual vice-campeão, o Chelsea. E a festa pode ser completa, pois dia 28 ocorre a final da Liga dos Campeões da Europa contra o Barcelona em Wembley, bem pertinho de Manchester.

A vitória de hoje é histórica. Desde 1976, o Liverpool tinha a hegemonia do futebol nacional ao conquistar seu nono título e superar o Arsenal. Ganhou mais nove conquistas até 1990, quando obteve seu último Inglês. Neste momento, o Manchester United amargava um longo jejum desde 1967 sem conquistas. Um presidente do Manchester City, campeão em 1968, chegou a falar nos anos 80: “O City foi o último campeão nacional de Manchester e será o próximo“. Proféticas palavras… ao contrário.

O título de hoje é a síntese do trabalho do técnico Alex Ferguson, há 25 anos no comando do time. Hoje “Sir” (Cavaleiro da Rainha), o escocês de 70 anos assumiu o time no meio do jejum, que teve direito a uma temporada na Segunda Divisão em 1976. Dez anos depois, depois de surpreendentes e contínuos títulos no futebol escocês pelo modesto Aberdeen (incluindo uma inacreditável Recopa Européia!), últimos títulos que escaparam da dupla de Old Firm (Glasgow Rangers e Celtic Glasgow).

Depois de recusar uma proposta do Arsenal (ele só não foi porque Walter Smith, que seria seu auxiliar técnico, assumiu o Glasgow Rangers), chegou a Old Trafford em um time que vivia do passado. Coube a ele reestruturar um time mágico nos anos 50 (arrasado pelo acidente aéreo de Munique) e igualmente espetacular nos anos 60 (conquistando 3 títulos nacionais e uma Copa dos Campeões da Europa), Ferguson correu risco de ser demitido em 1990, caso não vencesse o rival Manchester City em uma Copa da Inglaterra. Venceu por 1×0 e acabou conquistando aquele torneio, e depois a Recopa Européia.

Era o fôlego que precisava Ferguson. Naquele mesmo ano, a reestruturação das categorias de base lançava seu primeiro diamante. Um tímido ponteiro esquerdo galês chamado Ryan Giggs, com 17 anos. Ele iniciou o lançamento da geração chamada “Class of 92” (campeã da Copa da Inglaterra de Juniores), que tinha ele e mais David Beckham, Paul Scholes, Gary Neville e Nicky Butt.

"Adeus Cantona e United - Voltem aqui somente quando tiverem 18 títulos"

Dali para frente… Tudo seria diferente… Para a temporada seguinte, Ferguson faria seu grande golpe: contrataria a peso de ouro o francês Eric Cantona do arquirrival Leeds United. Polêmico, sanguíneo, o astro francês comandou um período de glórias do United conquistando seu primeiro título após 25 anos, justamente no início da Premier League em 1993 e que já tinha talentos como Peter Schmeichel, Roy Keane e Mark Hughes.

Então, um momento curioso: em janeiro de 1994, a torcida do Liverpool fez uma faixa escrita “Adeus, Cantona e United. Voltem aqui quando tiverem 18 títulos” após um empate em 3×3 em Anfield Road.

A saída de Cantona, que abandonou o futebol precocemente em 1997, não abalou o time. Pelo contrário, abriu o espaço para a afirmação do inesquecível time da Tríplice Coroa, que conquistou o Campeonato Inglês, a Copa da Inglaterra (incluindo um lendário duelo contra o Arsenal na semifinais e o mágico gol de Giggs:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=46iqRSBiI5s&w=425&h=349]

E a final da Liga dos Campeões, virando por 2×1 contra o Bayern de Munique com os dois gols nos acréscimos marcados por Teddy Sheringham e Ole Solskjaer.

Ver Ryan Giggs visivelmente emocionado, conquistando seu décimo segundo título Inglês no auge de seus 37 anos, é algo impressionante. Com quase 900 jogos e quase inacreditáveis 33 títulos pelo Manchester United, é realmente especial. Ele acaba de igualar o recorde mundial do goleiro português Vítor Baia, e pode superar caso vença a Liga dos Campeões (o que seria, para ele, um tricampeonato do torneio).

Finalmente, depois de 17 anos aguardando o momento certo, chegou a vez de colocar a faixa, respondendo aqueles torcedores de Anfield Road em um longínquo inverno de 1994:

Recordes de Giggs, de Ferguson, do Manchester United.

O novo soberano da Inglaterra!