Já ouviram falar de uma Liga que vendeu individualmente os direitos televisivos e gerou uma dupla com receita muito maior do que os demais? Ops, não é o Brasil e sim a Espanha. Ao menos por enquanto…

“Nossa Liga não é só a maior porcaria da Europa, mas do mundo. É uma liga de terceiro mundo em que dois clubes roubam o dinheiro de televisão dos demais”. Foi com esta impactante declaração que o presidente do Sevilla, José María Del Nido, disparou contra o abismo financeiro que existe nas últimas temporadas entre Real Madrid, Barcelona e o resto.

Neste final de semana, o Real Madrid arrasou a Real Sociedad por 6×0, enquanto o Barcelona pegou o Villarreal (4º na última temporada) e enfiou 5×0 mesmo com inúmeros desfalques. Ano passado, ambos dispararam em relação ao resto, algo repetido nas duas últimas temporadas. Curiosamente, desde que mudou o regime financeiro e a venda dos direitos passou a ser individualizada.

A disparidade financeira entre os gigantes e o resto chegou ao limite nas últimas  temporadas e a repercussão na vida esportiva começa a ser sentida. Barça e Real recebem 140 milhões de euros anualmente dos direitos de TV, contra 42 milhões de Valencia e Atlético de Madrid, e o resto ganhando muito menos.

Até a semana passada, a Liga Espanhola estava em greve de jogadores. Eles pediam salários atrasados, o direito de rescindir contrato após 3 meses de salários atrasados, fundos para bancar . Os times médios da Espanha, que nos anos 90 e início do século XXI eram protagonistas até mesmo da Liga dos Campeões (em especial Valencia, Sevilla e Deportivo La Coruña), hoje se arrastam nas competições continentais.

É verdade que nos últimos 28 Campeonatos Espanhóis, em 24 anos a dupla Barcelona e Real Madrid foi campeã, com dois títulos do Valencia, um título do Atlético de Madrid e mais um do Deportivo La Coruña. Além da já habitual potência inglesa, os times médios e grandes da Alemanha e França hoje fazem força na Europa, enquanto até mesmo o decadente futebol italiano mostra sinais de recuperação após uma ótima renegociação de contrato dos direitos televisivos.

Porém o que ocorre nas últimas 3, 4 temporadas é um massacre técnico sobre as demais equipes.

Fiz um levantamento envolvendo as últimas temporadas, vou reproduzir abaixo:

CONSIDERAÇÕES

  • As células em azul claro indicam anos que Barça e Real Madrid não ficaram entre os dois primeiros.
  • As células em azul escuro indicam anos que Barcelona e Real Madrid não ficaram entre os quatro primeiros.
  • As células em vermelho indicam temporadas nas quais o Barcelona e o Real Madrid dominaram. As em verde são anos dominados por times fora da Dupla Galática.

ANÁLISES

  • Nas primeiras oito temporadas do levantamento, Barcelona e Real Madrid só fizeram a dobradinha 2 vezes. Já o campeão não saiu da dupla em 3 oportunidades.
  • Barcelona e Real Madrid não ficaram sequer entre os 2 primeiros duas vezes.
  • Neste mesmo período, Barcelona e Real Madrid ficaram de fora dos 4 primeiros em 4 oportunidades, 3x o Real e 1x o Barcelona
  • Nas oito temporadas seguintes, o Barcelona e o Real Madrid ganharam o título em 7 anos.
  • Só o Valencia, em 2008, foi campeão diferentemente da “Dupla Galática”.
  • Apenas 1x Barcelona e Real Madrid não fizeram a dobradinha: em 2007/2008.
  • Desde 2004, o percentual de pontos do “Resto” contra a “Dupla Galática” baixou para níveis de 70% a 60%, enquanto antes o percentual mais baixo foi 84%.

Ah, a Liga Italiana que negociava individualmente agora partiu para um modelo coletivo. Vejam os resultados:

Futebol italiano negocia direitos de TV em conjunto e bate recorde