O GP da Malásia começou, para variar, com chuva. Afinal, qualquer pessoa com alguma cultura geral sabe que no final da primavera o vento vira e passa a soprar do mar para o continente nesta região (a Ásia de Monções) e as chuvas são extremamente frequentes no final de tarde. Mas como o Tio Bernie Ecclestone não está nem aí, tivemos uma corrida de 10 voltas, bandeira vermelha por 1h10min, e retorno da ação na sequência, com pista molhada.  O risco de repetir a corrida de 2009, que durou menos que a metade, foi forte.

A corrida foi, digamos, esquisita. Quem, em sã consciência, imaginaria uma vitória do Fernando Alonso com esta Ferrari deprimente? É claro que a parada para trocar os pneus beneficiou Alonso e Sérgio Pérez (o melhor da corrida), mas ainda assim o ritmo de corrida de ambos foi surpreendente. Alonso se deu bem ao ficar mais uma volta com pneus de chuva antes de trocar pelos intermediários!

Mais uma vez Lewis Hamilton foi o mais rápido nos treinos, e não conseguiu manter o ritmo na corrida, enquanto Jenson Button teve uma prova lamentável, que incluiu até erros grosseiros de pilotagem. Já Felipe Massa… Bom, na minha opinião o rendimento dele desde o GP da Alemanha de 2010 é motivo de demissão, jamais teria renovado contrato.

Enquanto isto, a nova geração faz bonito: Jean-Eric Vergne fez outra boa prova e marcou pontos, enquanto David Ricciardo teve seus momentos. Bruno Senna, depois de mais uma péssima largada, fez corrida muito segura em sua boa Williams e terminou em sexto. Teria ficado na frente do companheiro Pastor Maldonado, que também foi bem, mas este novamente teve problemas nas voltas finais (motor).

O campeonato segue totalmente indefinido, sem favoritos. A Red Bull fez uma corrida ruim, com Sebastien Vettel andando apagado no pelotão inicial. Mas a temporada européia, a que normalmente indica tendências, ainda está longe de começar.

Próxima parada? Xangai, China em três semanas!

Show de Fernando Alonso em Kuala Lumpur - Foto: SAEED KHAN / AFP

Vamos aos prêmios?
  • Troféu “Jim Clark” Sérgio Pérez, disparado, repetindo a premiação do GP da Austrália. Menção honrosa para Fernando Alonso, que levou uma horrível Ferrari à uma inesperada vitória.
  • Troféu “Rouge & Blanc” – Para Bruno Senna, que largou mal, foi lá para trás depois de um toque com Pastor Maldonado, e chegou na ótima sexta colocação.
  • Troféu “Chris Amon” – Repetindo a Austrália, de novo Pastor Maldonado. Desta vez o motor lhe deixou na mão faltando duas voltas.
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Nico Hulkenberg, que fez uma corrida apagada e ainda assim ganhou um pontinho com a quebra de Maldonado no final.
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” Felipe Massa, em um final de semana humilhante, ‘coroado’ com a vitória do companheiro de equipe.
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” – To pensando em excluir este prêmio e só dar ele eventualmente. Se bem que no meio da temporada começam as bobagens.
  • Troféu “Dick Vigarista” – Muito feio, sr. Jenson Button. Mereceu pela batida tosca com a Hispania.

    VEJA TAMBÉM
  • GP DA MALÁSIA 2010: Até que enfim, heinhô Vettel?
  • GP DA MALÁSIA 2009: Button vence a `meia-prova`
  • PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F-1 2012