No sorteio de hoje da Copa do Brasil, o Internacional deu um pouco de azar e pegou o Remo na primeira fase. Além de uma longa viagem, repetindo 2013 quando jogou no Acre, o Colorado tem uma péssima lembrança do último jogo oficial contra os paraenses.

O ano era 2003. Poucos meses atrás, o Inter tinha escapado de forma dramática do rebaixamento para a Segunda Divisão. Era início de temporada. Técnico novo, o desconhecido Muricy Ramalho. Dirigentes novos, presidente antigo (Fernando Carvalho), time totalmente novo, sem o falecido Librelato e com Chiquinho afastado pelo problema no cérebro. Na prática, os anos 90 ainda não tinham acabado.

Logo de cara, o adversário na Copa do Brasil seria o Comercial-MS. Vitória fácil no jogo de ida, 2×0 e nem precisou da partida de volta. Aí o confronto foi contra o Remo. No jogo de ida, Clemer falhou, a zaga dormiu e IRITUIA fez 1×0 ainda no primeiro tempo, aproveitando escorada de Zé Afonso (sim, aquele).

Na partida de volta, no Beira-Rio, André Balada fez 1×0 no primeiro tempo, mas Ivan empatou no início do segundo tempo. Sangaletti ainda deu esperanças aos 19 minutos de alcançar o 3×1 necessário. O time pressionou, mas não conseguiu. No final, vaias e mais uma eliminação precoce na Copa do Brasil, repetindo 2002, 2001 e 2000.

Inter e Remo em 2003 - Manchete auto-explicativa

Inter e Remo em 2003 – Manchete auto-explicativa

O Inter jogou com: Clemer; Cleiton Xavier, Wilson (Leandro Martins), André Cruz e Edu Silva; Sangaletti (Fernando Cardozo), Flávio (Nilmar) e Gavilán; Diego, Daniel Carvalho e André.Técnico: Muricy Ramalho. O mais bizarro é que praticamente este mesmo time limitadíssimo seria o 6º colocado no Campeonato Brasileiro e quase se classificou para a Libertadores. Méritos do técnico Muricy Ramalho.