Esta polêmica do racismo no futebol me fez lembrar outra questão: o preconceito sexual.

Há algum tempo o amigo Felipe Prestes me convenceu q eu devo levantar a bandeira de que os clubes deveriam erguer a bandeira anti homofobia com ações concretas e posicionamento oficial do clube. Não sei se pelo fato dele e de mim não estarem enquadrados em nenhum dos conceitos (negro ou gay), nos torna melhores ou piores

Aproximaria o clube da comunidade GLS, buscaria produtos neste perfil, além de ações de gestão como considerar companheiro como dependente, usar gays nas ações publicitárias (tipos a última propaganda de Natal do Banrisul na qual uma das famílias era um casal de homens), etc.

Se você está preocupado com isso, você tá errado. Se faz piadinha, mais ainda.

Se você está preocupado com isso, você tá errado. Se faz piadinha, mais ainda.

E nem vou falar do enorme impacto positivo na mídia internacional por ser o primeiro clube grande com uma política oficial de inclusão e contra a discriminação, fora a receita extra de novos sócios e consumo de produtos.

Ah, se acharem ruim o q estou escrevendo e ofensivo às suas crenças, só dar unfollow ou desfazer a amizade. Sem ressentimentos

Em resumo: se você fica escandalizado com as bananas para o Marcio Chagas, mas escreve “gaymista ou gazelas“: você esttá fazendo tão errado quanto eles.

Ou pior, pela hipocrisia

x9_mazoel_wollmann