Nada mais adequado nessa semana que discutirmos a tolerância e lutar contra a discriminação. Em dezembro, descobrir através de cenas de um jogo do Bayern de Munique que havia uma torcida gay do time alemão.Torcedores usaram uma imagem “Love has no Gender“, em tradução literal “o amor não tem gênero” nas arquibancadas em um banner. Consegui contato com a torcida organizada QueerPass Bayern, sempre presente na Allianz Arena.

"Love has no gender" - Faixa da QueerPass Bavaria na Allianz Arena

“Love has no gender” – Faixa da QueerPass Bavaria na Allianz Arena

O presidente da QueerPass, Mario Weiße, gentilmente me respondeu (peço desculpas pela demora na publicação). Ao final repito as perguntas e respostas em inglês para que não fiquem dúvidas sobre a tradução amadora que fiz. Lembrando que o Almanaque Esportivo já falou sobre esse assunto: “Diga não ao racismo. E a homofobia“, ainda em março do ano passado

Vejam a entrevista a seguir, agradecendo ao Mario e também Daiane Ribeiro pela ajuda na tradução:


ALMANAQUE ESPORTIVO: Quando este fã-clube começou? Como os membros se conheceram?

QUEER PASS BAYERN: Queer Pass Bavaria existe desde maio de 2006 (ano da Copa do Mundo na Alemanha), registrada oficialmente como fã-clube do Bayern de Munique. No ano anterior, nós começamos na rede social “Gayromeo” uma comunidade chamada “FC Bayern fans”. No ano seguinte, veio o desejo de continuar isso na vida real.

ALMANAQUE ESPORTIVO: Foi a primeira iniciativa de um fã-clube do Bayern? E na Alemanha?

QUEER PASS BAYERN: Sim, foi o primeiro grupo do Bayern de Munique. Na Alemanha, o primeiro fã-clube gay/lésbico é o “Hertha Junxx”, do Hertha Berlim.

ALMANAQUE ESPORTIVO: No início, como foi a recepção dos demais torcedores?

QUEER PASS BAYERN: No início, a reação foi um pouco cética, nós não nos enquadrávamos nos estereótipos na cabeça das pessoas (sem salto alto, sem estolas, roupas de couro, vestidos vermelho e branco). Nem mesmo uma bandeira do arco-íris. Estamos sempre com material do clube (camisas, bonés), outros com a camisa oficial do Bayern. Muitas vezes nos perguntavam: “Porque vocês usam QUEER PASS” com dois “E” (o normal é escrever Querpass, como se fosse “cross pass”). Então explicávamos a importância do termo “queer”. Conversávamos com eles, e os demais torcedores reduziam seu desconhecimento, modificavam suas idéias.

ALMANAQUE ESPORTIVO: Quantos torcedores por jogos? Vocês viajam dentro e fora da Alemanha?

QUEER PASS BAYERN: Nos jogos em casa, somos doze torcedores. Em jogos fora, no máximo cinco, pois é muito muito muito difícil obter ingressos, já que TODOS os jogos do Bayern tem capacidade esgotada.

Passeata de divulgação da causa

Passeata de divulgação da causa

ALMANAQUE ESPORTIVO: Como os torcedores visitantes recebem vocês em jogos fora da Allianz Arena?

QUEER PASS BAYERN: Nos enxergam como nós somos, torcedores do Bayern de Munique, alguns gostam e outros nos odeiam. Não importa muito nosso “tipo de torcida”. Porém como existe atualmente um fã-clube gay em praticamente todos os times da Bundesliga, muito se evoluiu e se conquistou na discussão da discriminação e da homofobia. (Nota do Editor, encontrei 27 fãs-clubes gays na Alemanha e outros cinco na Europa, e temos outros tantos em organização no Brasil).

Protestos contra discriminação do governo russo com lei anti-gays em ação organizada por diversas entidades no início do ano (frase em cirílico diz "Para a Rússia, com amor"

Protestos contra discriminação do governo russo com lei anti-gays em ação organizada por diversas entidades no início do ano (frase em cirílico diz “Para a Rússia, com amor”

ALMANAQUE ESPORTIVO: Finalizando, deixem um recado para os fãs do futebol brasileiro sobre sua luta por um mundo sem discriminação

QUEER PASS BAYERN: Sejam corajosos, conversem uns com os outros, coloquem os preconceitos a prova. E lembrem-se: Não importa quem chuta a bola!

QueerPass Bavaria

QueerPass Bavaria

Mais sobre fã-clubes, grupos de torcedores gays na Alemanha (em alemão, mas o google translator ajuda bastante): http://www.fussball-gegen-nazis.de/beitrag/getrennt-den-farben-vereint-der-sache-fanclubs-gegen-homophobie-im-fussball-10074
==============================

Thanks for your mail, and your interest in our fan club. We are even slightly surprised what great waves triggered our “LOVE HAS NO GENDER” choreography last saturday.

1º) When this Fan Club started? How the founders meet each other?

1. QUEER PASS Bavaria has since May 2006 (year of Fifa WM in Germany), officially registered fan club Bayern Munich. A year earlier we had started in a “social network” “Gayromeo” a community of interest “FC Bayern fans”. After one year, came the desire to continues it in real life.

2º) It’ was the first intiative here of a Bayern fanclub? And in the German?

2. Yes, we were the first initiative of Bayern Fan club that have made this topic. In Germany, were the “Hertha Junxx” from Hertha BSC Berlin, the first gay / lesbian fan club in the Bundesliga.

3º) In the beginning, how was the reception of the other Bayern fans?

3. The reception was restrained at the beginning a little shy skeptical, we did not meet yet so the ideas of some people in the head (no high heels, no feather boas, no leather outfit and also no red and white cocktail dress). Not even a rainbow flag could come out to us as “Queer”. We were and are just dressed normally with some club clothing (shirts hoodies caps) some also in the jersey of the FCB. Mostly comes the question, “why do you write QUEER PASS with two E?” (normal to write Querpass (cross pass) just with one E), then explained to the people the importance of queer, and so comes to the people an talke with tham, where they can then close their prejudices, gaps in knowledge.

4º) Which fans per game? You travel inside German and International’s trips?
4. At home games, we are most around twelve members in the stadium. Away games are often only just five of us, because it’s just very very very difficult to get tickets, it is EVERY game of FCB sold out.

5º) How the opposite fans receive you in games outside Allianz Arena?
5. The away fans see us as what we are, fans of Bayern Munich, one likes or hates you. As has our “core task” of no importance. But, since there is a queer fan club now available from almost every Bundesliga club, much has been achieved in raising awareness on the subject of discrimination and homophobia.

6º) Finally, can you send a message to Brazilian football fans about your quest for a better world without discrimination?

6. Notice to Brazilian football fans:

Be courageous, looking at each other to talk to each other, provides the prejudices to the test, and do not forget: the ball it does not matter who kicks it!