Com a eliminação do Flamengo na Libertadores 2017, jogadores como Réver, William Arão e Pará deram adeus ao sonho do bicampeonato continental. Pará foi campeão pelo Santos em 2011, William Arão pelo Corinthians em 2012 enquanto Réver venceu pelo Atlético-MG em 2013. Outros jogadores seguem nessa luta, descontando atletas que possam vir a chegar na janela de transferências do futebol internacional. São doze atletas brasileiros que podem comemorar a segunda conquista da América, alguns titulares e destaques, outros reservas quase esquecidos.

O time que tem mais atletas com chances de serem bicampeões é, não por acaso, o último brasileiro campeão da América, o Atlético-MG. O time de Belo Horizonte tem os goleiros Victor e Giovanni, os laterais Marcos Rocha e Carlos César, além do zagueiro Léo Silva, todos campeões em 2013. Além deles, o lateral Fábio Santos (campeão pelo Corinthians em 2012) pode ser bicampeão continental caso o Galo seja o vitorioso.

O Santos tem o goleiro Vladmir, reserva em 2011 e que novamente é reserva, além de Leandro Donizete, campeão no Galo 2013. O Grêmio tem o meia Douglas, campeão pelo Corinthians em 2012 que por enquanto está lesionado e ainda não foi inscrito. O Atlético-PR tem o lateral Jonathan, campeão pelo Santos em 2011 e o zagueiro Paulo André, campeão pelo Corinthians em 2012. O Palmeiras tem o volante Arouca, campeão pelo Santos em 2011.

Vale ressaltar que quatro estrangeiros jogando por times brasileiros podem ser bicampeões da América: no Palmeiras os colombianos Alejandro Guerra (meia) e Miguel Borja (atacante),  campeões pelo Atlético Nacional em 2016. Já no Grêmio temos os argentinos Walter Kannemann (zagueiro, San Lorenzo, 2014) e Gastón Fernandez (meia, Estudiantes, 2009). Mas como o levantamento só envolve atletas brasileiros, fica apenas a observação.

Brasileiros que buscam o bicampeonato da Libertadores:

  • Atlético-MG: Victor, Giovanni, Marcos Rocha, Carlos César, Leonardo Silva, Fábio Santos
  • Atlético-PR: Jonathan, Paulo André
  • Santos: Vladmir,  Leandro Donizete
  • Grêmio: Douglas
  • Palmeiras: Arouca

E na história? Três treinadores brasileiros conquistaram a Libertadores duas vezes: Lula, (Santos em 1962 e 1963). Luís Felipe Scolari (Grêmio 1995 e Palmeiras 1999), Paulo Autuori (Cruzeiro 1997 e São Paulo 2005) e o Mestre Telê Santana (São Paulo 1992 e 1993). Cuca, campeão em 2013 pelo Galo, pode chegar lá pelo Palmeiras. Já Paulo Autuori pode se tornar o primeiro brasileiro tricampeão da competição como treinador, e ainda por três times diferentes!

Já nos jogadores é sempre uma surpresa descobrir que o maior campeão da Libertadores é o mediano lateral-direito Vítor, absurdos quatro títulos da América, dois deles como reserva (foto retirada do site O Curioso do Futebol).

Vítor: único brazuca tetra da América - Foto: O Curioso do Futebol

Vítor: único brazuca tetra da América – Foto: O Curioso do Futebol

Com três títulos temos: Dinho, Elivélton, Fabiano Eller, Palhinha e Ronaldo Luiz. Alecsandro, que estava no Palmeiras, poderia ser tricampeão mas foi para o Coritiba. Ele venceu pelo Inter em 2010 e pelo Galo em 2013.

TETRACAMPEÃO DA AMÉRICA

  • Vítor – 1992 e 1993 (ambos com o São Paulo), 1997 (Cruzeiro) e 1998 (Vasco da Gama)

TRICAMPEÃO DA AMÉRICA

  • Dinho – 1992 e 1993 (ambos com o São Paulo), 1995 (Grêmio)
  • Elivélton – 1992 e 1993 (ambos com o São Paulo), 1997 (Cruzeiro)
  • Fabiano Eller – 1998 (Vasco da Gama), 2006 e 2010 (ambos com o Internacional)
  • Palhinha – 1992 e 1993 (ambos com o São Paulo), 1997 (Cruzeiro)
  • Ronaldo Luiz – 1992 e 1993 (ambos com o São Paulo), 1998 (Vasco da Gama)